Início / Arqueologia / ARQUEOFAUNA E PAISAGEM
ARQUEOFAUNA E PAISAGEM

ARQUEOFAUNA E PAISAGEM

Autor: Jairo José Zocche

Editora: Habilis Press Editora

Categoria: Arqueologia

Por R$ 60,51 ou 2x de R$ 30,26Boleto à vista: R$ 54,46 (10% de desconto)
Favoritar Pedir de Presente
Dados pessoais
Dados do seu amigo

Estimativa de frete

( Não sei meu CEP )
  • Sinopse
  • Características

O livro que está em suas mãos foi organizado por Jairo Zocche, Juliano Campos e Cláudio Ricken, do grupo de pesquisa ‘Arqueologia e Gestão Integrada do Território’ da UNESC, Criciúma, SC, Brasil e Nelson Almeida do Instituto Terra e Memória-ITM, Mação, Portugal.
Arqueologia e Paisagem reúne trabalhos de arqueólogos da Espanha, Portugal, Chile e Brasil. Os objetos estudados, sua abordagem e cronologia são variados, como se percebe, imediatamente, olhando o Sumário. Ali se destacam a exploração de recursos animais e sua forma de estudo como zooarqueologia, prestando atenção a fenômenos de tafonomia, associação com o clima, a paisagem, a arte e o ritual. Em termos de cronologia, os estudos incluem temas do Pleistoceno inferior, médio e superior da península ibérica e do Pleistoceno brasileiro predominantemente do Holoceno sul-americano. Estão representados grupos de caçadores, pescadores, pastores e agricultores, até a megafauna. Há trabalhos eminentemente teóricos, outros mais descritivos.
As situações estudadas são, predominantemente, as da região de atuação dos institutos organizadores e assim devem ser tomadas. A extrapolação para um território maior criaria uma percepção falsa da variedade de culturas e dos processos nelas representados. Especialmente no Brasil, isto é importante. Com razão foi dada ênfase aos sambaquis, porque na área trabalhada pela UNESC estão os maiores sambaquis da costa atlântica. Mas eles ocupam uma estreita e reduzida faixa litorânea num território do tamanho da Europa. Existem bons estudos da fauna explorada por caçadores, contemporâneos e mais antigos que os sambaquis, na Floresta Atlântica, nos cerrados do Brasil Central, no Pantanal do Mato Grosso e também na Amazônia. Nos cerrados do Brasil Central também se realizaram estudos da passagem da caça e da coleta para o cultivo.
O livro, juntando amostras de ambientes, culturas e tempos variados, abre um vasto horizonte, que convida à reflexão e ao intercâmbio de ideias. A justaposição de estudos da Península Ibérica, do Brasil e do Chile é uma provocação não só pelos dados apresentados, mas também pela maneira como foram tratados. Esperamos que a provocação não caia no vazio e que, depois dela, venham muitas outras.

ISBN: 978-85-60967-61-2

Comprimento: 23 cm

Largura: 16 cm

Peso: 0,525 kg

Número de páginas: 282